Carla Félix

Jornalista assassinado “TOME DIAZEPAM”, crônica por Rafael Joseph

Dizepam

Rua cheia de buraco,

Povo fazendo barraco.

TOME DIAZEPAM.

Jornalista assassinado,

Outros tantos ameaçados,

TOME DIAZEPAM.

Muito dinheiro chegando,

Mas prefeito mendigando.

TOME DIAZEPAM.

Hilux pra secretários

E pros demais salafrários.

TOME DIAZEPAM.

Decretou calamidade,

Piorou toda cidade.

TOME DIAZEPAM.

Doze meses de desgoverno,

Quatro pedidos em lavrados termos

Para cassar o estafermo.

TOME DIAZEPAM.

Disse que não rouba pouco.

20 mil? Que coisa de louco!

TOME DIAZEPAM.

Carro do Meio Ambiente

Carrega mudança de parente.

TOME DIAZEPAM.

Prédio próprio abandonado,

O do prefeito alugado.

TOME DIAZEPAM.

Por Rafael Joseph

Compartilhe:

Deixe seu comentário



APOIO:

Agência Publicitária RC Comunicação

(73) 9985.0223 / 3292 - 6939
Fale com a gente
Receba notícias por email