Esportes

Preso acusado de participar da morte de torcedor no Rio incita violência de dentro da cadeia no jogo Vasco e Flamengo

Gravações obtidas com exclusividade pela GloboNews e divulgadas nesta terça-feira (11) mostram que o homem acusado pelo Ministério Público de participar da morte de um torcedor do Botafogo, mesmo de dentro da cadeia, continuava a incitar o confronto entre torcidas.

“Só os braço forte, mano… só os amigos bons. Convoca a tropa, só os melhor. Tô agarrado aqui, mas nada mudou, mano. É a união, 2º pelotão e 4ª região, p(*)! Vamos pra cima deles, rapaziada, vamos pra cima deles. Sábado é o dia do confronto, é o dia do caô, mano, vamos tomar o Gardênia, vamos armar uma emboscada, vamos pegar os alemão c(*) lá no Rio das Pedras, lá na minha área, lá no Anil, vamos fazer alguma coisa, separa as madeiras, barra de ferro, pra cima deles.”

Segundo o MP, o autor das ordens reproduzidas acima é Vitor Portêncio da Silva, que atualmente está preso no Presídio Cotrim Neto, na Baixada Fluminense. Ele é conhecido como Gringo, e está preso há mais de três meses acusado de participar do brutal assassinato do torcedor do Botafogo Diego Silva dos Santos, de 28 anos. A vítima foi espancada e morta com golpes de espeto de churrasco, em fevereiro, do lado de fora do Estádio do Engenhão.

Os áudios, segundo o MP, foram enviados a um grupo de WhatsApp de uma torcida organizada do Flamengo, da qual o detento é integrante. As gravações têm, no total, seis minutos de duração.

“O Vitor tinha uma participação muito ativa nos jogos e nos confrontos. Apurou-se também que ele também é envolvido em outros confrontos que ocorreram aqui na cidade do Rio de Janeiro com a Torcida Jovem do Flamengo”, explicou o delegado da Delegacia de Homicídios da Capita, Daniel Rosas.

A atuação mais recente de Gringo para incitar a violência durante partidas ocorreu antes do clássico entre Flamengo e Vasco, na semana passada. Um torcedor do Vasco acabou morrendo após a partida nos arredores do estádio, vítima de um tiro no peito. O tiro foi disparado durante confronto entre torcedores do Vasco e entre torcedores e a PM. A Delegacia de Homicídio investiga quem foi o autor do tiro.

Segundo o MP, antes do jogo, Gringo enviou mais áudios a companheiros da torcida, provocando rivais e desafiando as autoridades. Nos áudios obtivos pela GloboNews, ele incentiva torcedores organizados do Flamengo a se envolverem em brigas na Zona Oeste do Rio, longe do Estádio São Januário.

“É um pedido do Gringo. Porrada neles, vamos pra cima, vamos unir, pra cima, não é pra ficar na Merck esperando não, é pra ir pra cima, botar aquele carro cinco da manhã e arrebentar logo quando for comprar café da manhã, igual a gente sempre fazia, é pra deixar f (*) mesmo, porrada neles!”, é dito num dos áudios interceptados.

‘Bonde do espeto’

As investigações da polícia indicam que Gringo é frio e participou diretamente da morte do torcedor do Botafogo. Após cinco meses do assassinato, nos áudios o homem lembra do assassinato com frieza e orgulho. Para a polícia, o acusado não mostra arrependimento nem preocupação.

“É o bonde do espeto, é a volta olímpica no engenhão, nós é a história, tem que respeitar. (…) É o bonde do soco reto, é o bonde da canelada, caralho, tem que respeitar, porra! É o bonde do espeto, tem que respeitar, tem que respeitar. Nós é a história, eles são quem? Nada!”

“Ele teve uma participação direta na morte do Diego, uma vez que ele foi um dos líderes daquela bando que atacou a vítima e socou a vítima diversas vezes com ela já caída no chão, faciilitando com que o outro investigado, o Rogério, espetasse-a com cinco golpes de espeto de churrasco no peito”, detalha o delegado Daniel Rosa.

A investigação da DH mostrou ainda que após ter agredido Diego com vários Socos, Vitor rouba a camisa da vítima como uma espécie de troféu. Isso foi revelado durante depoimento sobre o caso.

Vitor e outros sete integrantes da Torcida Jovem do Flamengo foram denunciados pelo MP pelo assassinato do torcedor do Botafogo. Depois de ouvir os áudios, a promotoria irá pedir a transferência de Gringo para um presídio de segurança máxima.

Dos sete acusados, dois ainda estão foragidos. São eles o presidente da Torcida Jovem, Wallace Costa Mota, conhecido com Tabajara, e o vice-presidente da organizada, Rafael Maggio Affonso, o Rato. Mesmo sendo considerados foragidos da Justiça, Rato e Tabajara parecem levar uma vida normal.

A GloboNews também teve acesso, com exclusividade, a vídeos gravados depois do jogo entre Vasco e Flamengo que mostram os dois acusados com camisa da Torcida Jovem e participando de uma discussão dentro de um bar, no Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio.

Confira o vídeo no link a seguir

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/preso-acusado-de-participar-da-morte-de-torcedor-no-rio-incita-violencia-de-dentro-da-cadeia.ghtml

Fonte G1

Compartilhe:

Deixe seu comentário



APOIO:

Agência Publicitária RC Comunicação

073 99985-0223 / 98839-3445
Fale com a gente
Receba notícias por email