Itamaraju

Itamaraju: MPF determina que prefeito Marcelo Angênica informe valores arrecadados com taxa de iluminação pública


Por se tratar de dinheiro público é preciso prestar contas à população


18/01/2018 - às 14:01h
Por Bell Kojima

O Ministério Público Federal (MPF) determinou que prefeitura de Itamaraju informe no prazo de 15 dias os valores arrecadados com a iluminação pública sob pena de execução do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC).

A denúncia foi feita pelo grupo Fiscaliza Itamaraju, depois de perceber os moradores do bairro Marotinho tomarem a iniciativa de comprar lâmpadas para garantir a iluminação das ruas Oiapoque e Ribeirão do Ouro, ambas localizadas no bairro.

A iniciativa foi do gerente de vendas Jailson Souza e de um grupo de moradores, que compartilhavam do sofrimento e temor em transitar por ruas escuras naquela localidade.  Ele ameaçou cobrar na Justiça o ressarcimento dos valores gastos, além das taxas pagas, sem o serviço atendido.

   Segundo integrantes do Fiscaliza, o gestor e sua equipe precisa entender que a prefeitura não é uma clínica particular nem as empresas privadas de seus secretários. Por se tratar de dinheiro público é preciso prestar contas à população.

O grupo acredita que prevalece a incoerência por parte do prefeito Marcelo Angênica (PSDB), que mesmo com a cidade na escuridão ainda aumentou a taxa de iluminação pública em quase 100% no ano passado.

Outra vitória do grupo Fiscaliza fez com que a prefeitura também seja obrigada a colocar novamente no Portal da Transparência todos os dados das frotas de veículos locados e dos funcionários comissionados que foram retirados do site após denúncias de irregularidades e favorecimento.


Edição Bell Kojima


 

Compartilhe:

Deixe seu comentário



APOIO:

Agência Publicitária RC Comunicação

073 99985-0223 / 98839-3445
Fale com a gente
Receba notícias por email