Jotta Mendes

E se Bolsonaro ganhar as eleições?


Pensando com Coragem


2/10/2018 - às 16:10h
Por Bell Kojima

No domingo, 7 de outubro, o povo brasileiro deverá escolher seus deputados, senadores, governadores e presidente da república. Nunca, na história do país, a política esteve tão aberta e com tanta expectativa como está agora, embora a política tenha se iniciado sem um grande favorito. No entanto, o processo se afunilou e o grande favorito virou Jair Messias Bolsonaro, que embora nas pesquisas mostre pouca diferença para o segundo colocado, nas ruas e nas redes sociais a diferença é esmagadora, pelo menos é o que se percebe nas voz roucas das ruas.

   Bolsonaro pode ganhar a eleição com uma campanha gratuita bancada por simpatizantes dos quatro cantos do país. Nunca antes na história do país, um candidato à presidente teve a campanha feita de forma tão voluntária como tem sido a campanha de Bolsonaro.

Se ele vai ganhar é outra história, que só poderemos saber domingo, 7 de outubro, por volta das 19h, quando o processo de apuração começa de afunilar.

Bolsonaro é o favorito a vencer, inclusive no primeiro turno, embora os institutos de pesquisas não mostre isso.

Os institutos de pesquisas volta a levantar uma outra pergunta na cabeça dos brasileiros, dá pra acreditar nas pesquisas em véspera de eleição?

   E se Bolsonaro ganhar as eleições? O que pode acontecer?

A grande mídia tem mostrado nos últimos dias a alta do dólar, e, a alta de todos os índices, tudo em razão das eleições.

A mesma coisa aconteceu em 2002, quando Luiz Inácio Lula da Silva foi eleito pela primeira vez. Eu nunca tinha ouvido falar em risco país, em 2002 era o principal assunto dos jornais. Vamos saber um pouco sobre o risco país.

O risco país é um conceito econômico-financeiro que diz respeito à possibilidade de que mudanças no ambiente de negócios de um determinado país impacte negativamente o valor dos ativos de indivíduos ou empresas estrangeiras naquele país, bem como os lucros, dividendos ou royalties que esperam obter dos investimentos.

   Será que essa paranoia toda é apenas para assustar os brasileiros? Ou a possível vitória de Bolsonaro pode assustar o mundo?

A maioria absoluta dos eleitores de Bolsonaro vão votar com o coração e não com a razão, A política brasileira passa por um momento de revolta. O voto em Bolsonaro é um voto de revolta, de alguém que não aguenta mais o sistema político brasileiro, o qual impera a corrupção.

Embora Bolsonaro não mostre a solução, ele inspira um grito de liberdade, um grito de chega, vamos mudar o país.

O povo brasileiro está dizendo; ou os políticos mudam, ou mudamos os políticos, ou mudam o sistema político, ou mudamos o sistema de fazer política.

   Pela primeira vez na história o gigante está acordando do berço esplêndido, não como acordou em 2013 e depois reelegeu Dilma.

Esta foi um desastre tanto no primeiro, quanto no segundo mandato, até sofrer o impeachment.

Espero que desta vez realmente prevaleça a vontade do povo brasileiro, melhor que isso, que o povo brasileiro realmente acerte na escolha.

Jotta Mendes é radialista, jornalista e editor do Repórter Coragem


Por Jotta Mendes/Repórter Coragem

Edição Bell Kojima/Repórter Coragem

Curta, deixe nos comentários a sua opinião e não esqueça de compartilhar com os amigos


Compartilhe:

Deixe seu comentário



APOIO:

Agência Publicitária RC Comunicação

073 99985-0223 / 98839-3445
Fale com a gente
Receba notícias por email